MAR

MAR

27 maio, 2013

Mia Couto vence Prémio Camões 2013


 
 

O escritor e biólogo moçambicano Mia Couto é o vencedor do Prémio Camões de 2013, o mais importante da literatura em língua portuguesa.
Criado por Portugal e Brasil em 1989, o prémio é o maior de língua portuguesa e é concedido ao escritor cuja obra contribua para sua projeção e reconhecimento.
 
A escolha foi decidida por um júri, que reuniu durante a tarde desta segunda-feira no Palácio Gustavo Capanema, sede do Centro Internacional do Livro e da Biblioteca Nacional, e de que fizeram parte, do lado de Portugal, a professora catedrática da Universidade Nova de Lisboa Clara Crabbé Rocha (filha de Miguel Torga, o primeiro galardoado com o Prémio Camões, em 1989) e o escritor e jornalista (director do Jornal de Letras) José Carlos Vasconcelos. E também os brasileiros Alcir Pécora, crítico e professor da Universidade de Campinas, e Alberto da Costa e Silva, embaixador e membro da Academia Brasileira de Letras, o escritor e professor universitário moçambicano João Paulo Borges Coelho e o escritor angolano José Eduardo Agualusa.
 
 

26 maio, 2013

Palmarès du 66e Festival de Cannes





LONGS METRAGES

Palme d'Or

LA VIE D’ADÈLE - CHAPITRE 1 & 2 (Blue Is The Warmest Colour) réalisé par Abdellatif KECHICHE
avec Adèle EXARCHOPOULOS & Léa SEYDOUX

Grand Prix

INSIDE LLEWYN DAVIS réalisé par Ethan COEN, Joel COEN


Prix de la mise en scène

Amat ESCALANTE pour HELI


Prix du Jury

SOSHITE CHICHI NI NARU (Like Father, Like Son / Tel Père, Tel Fils) réalisé par KORE-EDA Hirokazu


Prix du scénario

JIA Zhangke pour TIAN ZHU DING (A Touch Of Sin)


Prix d'interprétation féminine

Bérénice BEJO dans LE PASSÉ (The Past) réalisé par Asghar FARHADI


Prix d'interprétation masculine

Bruce DERN dans NEBRASKA réalisé par Alexander PAYNE



COURTS METRAGES

Palme d'Or

SAFE réalisé par MOON Byoung-gon


Mention Spéciale - Ex-aequo

HVALFJORDUR (Whale Valley / Le Fjord des Baleines) réalisé par Gudmundur Arnar GUDMUNDSSON
37°4 S réalisé par Adriano VALERIO




CAMERA D'OR

ILO ILO réalisé par Anthony CHEN présenté dans le cadre de la Quinzaine des Réalisateurs




Prix UN CERTAIN REGARD

PRIX UN CERTAIN REGARD


PRIX DU JURY


PRIX DE LA MISE EN SCENE


PRIX UN CERTAIN TALENT

Pour l’ensemble des acteurs du film LA JAULA DE ORO de Diego QUEMADA-DIEZ

PRIX DE L’AVENIR

 

 Prix de la CINÉFONDATION
   

   


                                        



23 maio, 2013

Morreu Georges Moustaki







O cantor e compositor francês Georges Moustaki morreu hoje, em Nice, aos 79 anos vítima de  uma doença respiratória.  
 
Filho de pais gregos, Georges Moustaki, de seu verdadeiro nome Giuseppe Mustacchi, nasceu em Alexandria, no Egito, em 1934.  

A viver em Paris desde 1951, adotou o nome de Georges em homenagem ao cantor e compositor francês Georges Brassens.
 
Para além das próprias músicas, Moustaki também escreveu  muitas canções para outros autores franceses, como Edith Piaf , Yves Montand, Juliette Gréco e Serge Reggiani, entre outros.

Georges Moustaki, que atuou em Portugal em 2008, tinha várias ligações ao país da revolução dos cravos, ao qual dedicou uma música com o título de "Portugal (Fado Tropical)", em 1974.

 

Feira do Livro de Lisboa



                                        Parque Eduardo VII

                               23 de maio a 10 de junho de 2013


A Feira do Livro de Lisboa apresenta, este ano, cerca de cem mil títulos distribuídos por mais de duas centenas de pavilhões e centenas de editores, chancelas, alfarrabistas e livreiros. Esta edição  traz novidades para os visitantes, nomeadamente ao nível de uma  enriquecida programação cultural e de novos espaços de restauração.


Programação completa: aqui

20 maio, 2013

24 de Maio - Noite de Literatura Europeia

 
No dia 24 de maio de 2013 realiza-se em Lisboa a primeira Noite de Literatura Europeia. Oito locais emblemáticos entre o Chiado e o Rato recebem obras de oito escritores europeus contemporâneos.
 
 
 
A primeira noite branca da literatura em Lisboa decorre entre as 18h30 e as 22h30 em oito espaços da cidade – uma maratona de curtas leituras e dramatizações em língua portuguesa de obras de autores europeus contemporâneos. Atores e, em alguns casos, escritores dão corpo e voz aos textos.
 
Criado em Praga em 2008, este projeto, que procura despertar o interesse pela literatura europeia contemporânea, estreia-se este ano na capital portuguesa e promete espalhar a literatura pelas ruas
 
Portugal estará representado pelo escritor, ilustrador e músico Afonso Cruz. Da sua obra vastamente premiada e publicada também fora de Portugal, o Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, escolheu "O livro do ano".

A leitura será feita pela atriz Isabel Abreu sob a direção de Tiago Guedes e terá lugar na Galeria Zé dos Bois, acompanhada por ilustrações e música interpretada por Afonso Cruz.
 
 
Informação completa em Centro Nacional de Cultura
 
 
 

15 maio, 2013

Dia internacional dos Museus - Noite dos Museus

 
 
 
Sob o tema Museus (Memória +Criatividade)= Mudança Social celebra-se no dia 18 de maio o Dia Internacional dos Museus.

Coincidindo no mesmo dia, o Dia Internacional dos Museus e a Noite dos Museus será uma vez mais a oportunidade para os museus, através de centenas de actividades,  de se mostrarem como espaços de memória e celebrarem a criatividade e a inovação em estreito convívio com os seus públicos.
 
 

07 maio, 2013

Como uma Flor de Plástico na Montra de um Talho de Golgona Anghel





«Pouco depois da publicação do seu último livro de poesia, «Vim Porque me Pagavam», António Guerreiro escrevia no Expresso: «Diabólica e requintada, a poesia de Golgonha Anghel é uma máquina implacável de irrisão e uma festa da linguagem. […] Irrompe como um objeto intempestivo e sem igual na poesia portuguesa. […] Por aqui desfila a prosa do mundo, mas é sempre de viés que ela se apresenta, como que de passagem, já que o poema parece deslocar-se sempre noutra direção e apontar para outro lado. Não numa direção determinada nem para um lado preciso, mas num deslizar contínuo pelas palavras e pelas referências, sem se deter. E este movimento é estonteante, lúdico, faz de cada poema uma festa.»
O livro que agora se publica vem confirmar tudo o que foi dito, por vezes de modo surpreendente, e demonstrar a maturidade poética de Golgona Anghel, uma das vozes mais originais e consequentes da nova poesia portuguesa»
 
 
in Diário Digital
 
 
 
Golgona Anghel licenciou-se em Estudos Portugueses e Espanhóis na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde, também já  conclui o doutoramento em Literatura Portuguesa Contemporânea. Desde 2009, desenvolve a actividade de investigação no âmbito de um projecto de pós-doutoramento, na FCSH-UNL. Publicou vários livros de ensaio:
 . Eis-me acordado muito tempo depois de mim, uma biografia de Al Berto (Quasi Edições, 2006).
. Cronos decide morrer, viva Aiôn, Leituras do tempo em Al Berto (Língua Morta, 2013). 
. Edição diplomática dos Diários do poeta Al Berto (Assírio & Alvim, 2012).
.  Crematório Sentimental (Quasi Edições, 2007).
. Como Desaparecer (Diputación de Málaga, 2011).
.  Vim Porque me Pagavam (Mariposa Azual, 2011). 
. Como uma Flor de Plástico na Montra de um Talho.
 

05 maio, 2013

Um poema de José Luís Peixoto

 
 
Mãe, eu sei que ainda guardas mil estrelas no colo.
Eu, tantas vezes, ainda acredito que mil estrelas são
todas as estrelas que existem.


 
José Luis Peixoto


 © Justine Brax in Petite mangue