MAR

MAR

19 abril, 2018

O Rapaz do Pijama às Riscas de John Boyne



A história é-nos apresentada sob a perspectiva de um rapaz de nove anos (Bruno), que vive num ambiente favorecido em Berlim, mais tarde em Auschwitz, e que desconhece totalmente a crueldade existente no mundo, à sua volta e mesmo no seio familiar. 

A história é narrada de forma superficial, é o leitor através das indicações fornecidas por Bruno que vai descortinando a profissão do pai, o sítio para onde se mudaram, as pessoas que vivem num espaço, que ele avista da janela, e que estão vestidas todas de igual com “um pijama às riscas”. Bruno completamente inocente não tem a mínima ideia do que se passa naquele campo e desconhece a profissão do pai. 

Quando, para combater o aborrecimento de estar sempre em casa, decide explorar os arredores, acaba por descobrir um menino da sua idade (Shmuel) que se encontra do outro lado da vedação. Sem qualquer preconceito Bruno questiona-o e tornam-se amigos. Estes encontros duram ao longo de um ano e é este aspecto que me leva a considerar esta história inverosímil. É impossível que durante tanto tempo ninguém os avistasse. Auschwitz era um campo muito vigiado, ninguém conseguia isolar-se e muito menos obter roupa sem levantar suspeitas. 

Porém, retenho a inocência das duas crianças e a amizade que se estabeleceu entre elas. São valores importantes que devem ser transmitidos aos jovens leitores e talvez tenha sido esta a intenção do autor.



Sem comentários: