MAR

MAR

28 abril, 2011

Feira do Livro 2011 - Lisboa




A 81ª edição da Feira do Livro de Lisboa 2011 realiza-se entre os dias 28 de Abril e 15 de Maio, no Parque Eduardo VII.


Horário de funcionamento
•De 2ª a 5ª Feira - Das 12h30 às 22h30;
•6ª Feira - Das 12h30 às 23h30;
•Sábados, Domingos e Feriados - Das 11h00 às 23h30.


A feira é organizada pela Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL).

27 abril, 2011

Gato Malhado e Andorinha Sinhá

Pedro e Inês pelo Grupo de Teatro O Bando no CAS



CAS - Auditório
30 de Abril
22h00



Pretendendo revisitar e reinventar a história de Pedro e Inês e partindo do texto inédito “Inês Morre”, de Miguel Jesus - o qual caminha progressivamente dum registo dramático e realista para o poético e para o metafórico - o Teatro O Bando convidou Anatoly Praudin, director do Experimental Stage of Baltic House, em S. Petersburgo, a criar um espectáculo onde a sua visão externa, profundamente influenciada pela tradição teatral russa, pudesse levantar novas inquietações sobre esta lenda e espalhar uma nova luz sobre este mito. Uma grande história por uma grande companhia, no palco do Centro de Artes de Sines.

22 abril, 2011

Livraria Bertrand do Chiado - mais antiga do mundo



Desde que abriu em 1732, a Livraria Bertrand do Chiado nunca deixou de funcionar. É por isso que entrou para o Guiness como a livraria mais antiga do mundo ainda em actividade.

A Livraria Bertrand do Chiado foi reconhecida pelo Guiness como a livraria mais antiga do mundo ainda em actividade. O atestado, certificado pelo Guiness Book of Records, está exposto desde ontem à noite no interior da loja.

A livraria Bertrand do Chiado está em funcionamento desde 1732 e o processo de candidatura a livraria mais antiga do mundo obedeceu “a uma rigorosa prestação de provas”. Foi necessário confirmar que a actividade da livraria não foi interrompida ao longo destes anos e para isso contribuíram o historiador contemporâneo e colaborador da LisbonWalker, José Antunes; o sociólogo Miguel Cabrita; Ana Salvado, que no momento da candidatura era subdirectora do Instituto Nacional para a Reabilitação; o escritor, historiador e crítico de arte José Augusto-França, entre outros.

A primeira Bertrand, fundada por Pedro Faure em 1732, abriu portas na Rua Direita do Loreto, em Lisboa. Mais tarde, em 1755, quando já era o genro de Faure, Pierre Bertrand que dirigia a livraria foi instalar-se junto da Capela de Nossa Senhora das Necessidades por causa do Grande Terramoto. Dezoito anos depois, em 1773, a Bertrand voltou a abrir as portas na já reconstruída baixa pombalina. No texto de José António Saraiva, “Bertrand – a história de uma editora” é-nos dito pelo historiador que a Bertrand teve 11 nomes e conheceu quatro moradas.


Notícia completa no Público

18 abril, 2011

Manet, inventeur du Moderne - Musée d'Orsay

Exposition Manet, inventeur du moderne
Musée d’Orsay - Paris
5 avril - 3 juillet 2011



Edouard Manet (1832-1883)
Amazone/l'été, 1882. Fondation Thyssen- Bornemisza, Madrid



Plus qu'une rétrospective monographique, Manet, inventeur du Moderne entend explorer et éclairer  la situation historique d'Edouard Manet (1832-1883), entre l'héritage réaffirmé du romantisme, l'impact de ses contemporains et le flux médiatique de son époque.
Moderne, Manet l'est situation historique d'Edouard Manet (1832-1883), entre l'héritage réaffirmé du romantisme, l'impact de ses contemporains encore en défiant les maîtres anciens, de Fra Angelico à Vélasquez. Cette exposition repense de même les multiples liens que le peintre a résolument noués ou dénoués avec la sphère publique et politique. Car la modernité est aussi affaire d'inscription, voire d'opposition. Le parcours s'attarde donc sur l'enseignement de Thomas Couture, l'impulsion de Baudelaire, la réforme de l'art religieux, l'imaginaire érotique, l'art du fragment(é), le rapport à la peinture féminine (Berthe Morisot, Eva Gonzalès), la tentation mondaine, son impressionnisme décalé comme sa complicité avec le Mallarmé le plus noir.





Bande annonce de l'exposition Manet au musée... por musee-orsay

16 abril, 2011

Dias da Música - CCB

 
15, 16 e 17 Abr 2011
DIAS DA MÚSICA EM BELÉM
DA EUROPA AO NOVO MUNDO 1883-1945  

LeV - Literatura em Viagem 2011


6ª edição do LEV - Literatura em Viagem, um festival internacional de literatura, que se irá realizar entre os dias 16 e 19 de Abril, na Biblioteca Municipal Florbela Espanca, em Matosinhos.

Ao longo de 4 dias, um vasto leque de iniciativas terá espaço e tempo, designadamente mesas-redondas, lançamentos de livros, exposições e concertos de música clássica.

12 abril, 2011

Arte Portuguesa do Século XIX (1850-1910) - MNAC


ARTE PORTUGUESA DO SÉCULO XIX (1850-1910)
MUSEU NACIONAL DE ARTE CONTEMPORÂNEA - MUSEU DO CHIADO 

CURADORIA DE MARIA DE AIRES SILVEIRA

07.04.2011 - 12.06.2011




José Malhoa 
(1855-1933)
Clara 
1903
óleo sobre tela
MNAC-Museu do Chiado, inv. 1604

Arte Portuguesa do Século XIX (1850-1910)
Arte Portuguesa do Século XIX (1850-1910) é a primeira de três grandes exposições que inauguram o ano do Centenário do Museu Nacional de Arte Contemporânea – Museu do Chiado, criado por decreto da República em 26 de Maio de 1911.
Perante a impossibilidade de revelar a verdadeira dimensão e a diversidade do acervo numa única exposição, optou-se por apresentar os três períodos da colecção (1850-1910, 1910-1960 e 1960-2011) em três momentos expositivos sucessivos, que cobrem toda a história da arte portuguesa, de 1850 até à actualidade. 
A primeira destas exposições corresponde ao núcleo fundador da colecção que, historicamente, antecede a criação do MNAC. Através de 100 obras fundamentais dos maiores artistas deste período, exploram-se as rupturas e permanências da arte portuguesa do século XIX (1850-1910), em seis núcleos temáticos que traduzem o espírito da geração romântica e as novidades das propostas naturalistas, entre a descoberta da luz e das atmosferas, a paisagem e os costumes, a afirmação da figura popular, o retrato, o intimismo e os simbolismos de finais de século. 
H.B.
ARTISTAS REPRESENTADOS
Simões de Almeida, Alfredo de Andrade, Tomás da Anunciação, Carlos de Bragança, José de Brito, António Carneiro, José Ferreira Chaves, Ernesto Condeixa, Luciano Freire, Adriano de Sousa Lopes, Teixeira Lopes, Alfredo Keil, Artur Loureiro, Miguel Ângelo Lupi, Duarte Faria e Maia, José Malhoa, Luís de Menezes, Francisco Metrass, Marques de Oliveira, António José Patrício, Columbano Bordalo Pinheiro, Sousa Pinto, Silva Porto, Henrique Pousão, António Ramalho, Carlos Reis, José Veloso Salgado, Francisco dos Santos, João Cristino da Silva, Aurélia de Sousa, Soares dos Reis, João Vaz.


10 abril, 2011

Mon Père est Femme de Ménage de Saphia Azzeddine


Réalisé par Saphia Azzeddine


Avec François Cluzet, Jérémie Duvall, Nanou Garcia, entre autres.

Genre : Comédie dramatique

Durée : 01h20min Année de production : 2010

Distributeur : ARP Sélection

04 abril, 2011

GOTAN PROJECT | TANGO 3.0 TOUR

Gotan Project Multimedia 1




"É já na próxima semana, dia 08 de Abril que os Gotan Project voltam a subir ao palco do Coliseu dos Recreios, para um espectáculo alucinante de música e audiovisual.

Tudo o que prometem é dar-nos o seu ritmo, próprio, único, intenso para dançar ao som tango electrónico.

Phillipe Cohen Solal, Eduardo Makaroff e Christoph H. Müller, estão já no seu sétimo álbum, dos quais La Revancha del Tango obteve maior sucesso, e trazem nos a Lisboa o TANGO 3.0.

O Tango 3.0 foi lançado em Abril de 2010 pela XL Recordings e possui como principais singles ‘Rayuela’ e ‘La Gloria’. Conta também com participações especiais e colaborações como a de Dr. John na ‘Tango Square’ ou o autor argentino Julio Cortázar em ‘Rayuela’.

Este álbum aparece depois de alguns rumores de que a banda iria acabar, e é a prova de que o "projecto Tango" não tem intenções de parar pois a receptividade por parte do público cresce dia a pós dia…"



in http://www.peventertainment.pt/PageGen.aspx?WMCM_PaginaId=27691&eventoId=27932

02 abril, 2011

Exposition Odilon Redon au Grand Palais

 Grand Palais, Galeries Nationales, Paris
 23 mars - 20 juin 2011

Peintre de l’imaginaire et du subconscient, contemporain des impressionnistes, Odilon Redon (Bordeaux 1840 – Paris 1916) demeure un artiste à part.

JPEG - 29.4 ko

Odilon Redon (1840-1916)

Profil sur méandres rouges, pastel, vers 1900. Musée d’Orsay, Paris © service presse Rmn-Grand Palais / Hervé Lewandowski


JPEG - 27.7 ko
                                                                                  

Odilon Redon (1840-1916)
Buste d’homme aux yeux clos, entouré de fleurs. Aquarelle et mine de plomb, vers 1905-1914 © service presse Rmn-Grand Palais / Michelle Bellot