MAR

MAR

31 julho, 2008

Gee Whiz But This is a Lonesome Town - Moriarty


Considero este trabalho "Gee Whiz But This is a Lonesome Town" da banda Moriarty excepcional. Foi uma das surpresas agradáveis do FMM de Sines.Esta banda formada em Paris ecoa sons de folk, country, blues e cabaret, mas é sobretudo a voz de Rosemary que nos desperta os sentidos.


Os títulos são os seguintes:

1. Jimmy
2. Lovelinesse
3. Private Lily
4. Motel
5. Animals Can'T Laugh
6. (...) Moriarty
7. Cottonflower
8. Whiteman'S Ballad
9. Tagone-Ura
10. Fireday
11. Oshkosh Bend
12. Jaywalker (Song For Beryl)

Moriarty - Private Lily

28 julho, 2008

João Ubaldo Ribeiro ganhou Prémio Camões


O escritor brasileiro João Ubaldo Ribeiro ganhou o Prémio Camões 2008.


João Ubaldo Ribeiro tem 67 anos e vive no Rio de Janeiro.



Obras publicadas em Portugal:

- A casa dos Budas Ditosos

- Diário do Farol

- Já Podeis da Pátria Filhos e Outras Histórias

- Miséria e Grandeza do Amor de Benedita

- O Feitiço da Ilha do Pavão

- Viva o Povo Brasileiro

- O Sorriso do Lagarto

- Onze em Campo ... De Cada Vez: Antologia de Textos sobre o Futebol

- Livro de Histórias
Vencedores anteriores:
2007: António Lobo Antunes - Portugal
2006: Luandino Vieira (declinou receber o prémio) - Angola
2005: Lygia Fagundes Telles - Brasil
2004: Agustina Bessa Luís - Portugal
2003: Rubem Fonseca - Brasil
2002: Maria Velho da Costa - Portugal
2001: Eugénio de Andrade - Portugal
2000: Autran Dourado - Brasil
1999: Sophia de Mello Breyner - Portugal
1998: António Cândido de Mello e Sousa - Brasila
1997: Pepetela - Angola
1996: Eduardo Lourenço - Portugal
1995: José Saramago - Portugal
1994: Jorge Amado - Brasil
1993: Rachel de Queiroz - Brasil
1992: Vergílio Ferreira - Portugal
1991: José Craveirinha - Moçambique
1990: João Cabral de Melo Neto - Brasil
1989: Miguel Torga - Portugal

O Prémio Camões, instituído pelos governos do Brasil e de Portugal em 1988, é atribuído aos autores que tenham contribuído para o enriquecimento do património literário e cultural da língua portuguesa.
Este prémio é considerado o mais importante prémio literário destinado a galardoar um autor de língua portuguesa pelo conjunto da sua obra.

FMM 2008 - O Final!


Não resisto em transcrever alguns excertos do artigo publicado por João Bonifácio, hoje, no Público sobre o concerto da "talentosa senhora Traoré" no FMM. É um texto que subscrevo completamente.


Assim, aqui fica:


A talentosa senhora Traoré
28.07.2008

Todos os anos acontece o mesmo e nunca cansa: a meio do último concerto no Castelo salta o fogo-de-artifício, que a cada edição parece tornar-se mais monumental. A música não pára e, muitas vezes, parece ganhar ainda mais força com a celebração. É, igualmente, uma forma de consagrar o artista escolhido para cabeça de cartaz, aquele que oferece o mais nobre dos concertos. Mas por vezes há enganos: Erika Stucky, senhora de uma estrondosa voz (e que já deu show em anterior edição do Músicas do Mundo) e mestre de cerimónias da despedida, bem se esforçou na sua homenagem (nada ortodoxa) ao génio Jimi Hendrix.
(...)
Quem devia ter fechado Sines? A maliana Rokia Traoré. Havia dúvidas acerca do que Rokia pudesse fazer. O seu mais recente disco, Tchamanché (acabado de sair) é de uma mansidão imensa, plana nos ares, é feito de sussurros. Dificilmente se imaginaria o álbum transposto para aquele cenário inundado de gente. Rokia começou muito jazzy, com o baixo a entregar um groove cálido, e lentamente foi subindo. Pegou na sua Gibson (bela, bela guitarra) e inflectiu em direcção ao país natal, num blues arrastado, sinuoso, lânguido. Frases lentas de guitarra eram dobradas pelo rendilhado do segundo guitarrista, enquanto o ngoni (uma espécie de guitarra maliana primitiva) repicava notas de forma minimal - isto resultava numa espécie de transe, até a guitarra solo começar a entrar em novelos psicadélicos, a acelerar, isto enquanto o baixo arredondava e arredondava e o ataque ao ngoni ganhava contornos de repetição obsessiva. Foi sempre assim: um tema começava arrastado e acabava numa espiral em crescendo - até que, cá em baixo, quem ouvia entrava num mundo simultaneamente físico e etéreo: primeiro a cabeça oscilava, depois os ombros meneavam, rapidamente o corpo todo era possuído pela força telúrica daquela música. E no entanto muita gente dançava de olhos fechados: é natural, isto é música para dançar por dentro. O final foi extraordinário, quase puro funk, jam em êxtase, como se Rokia fosse uma versão feminina do nigeriano Fela Kuti. Algo de espantoso aconteceu ali.
(...)
Porque Rokia, Rokia foi extraordinária, deu um daqueles concertos que nunca se esquece por mais que se viva, e, num festival cujo alinhamento - em modo best-off devido às comemorações dos seus 10 anos - pareceu escasso em surpresa, foi a pérola, a jóia absoluta que só por si justificava o festival inteiro.

João Bonifácio
(A foto foi retirada do site FMM)

27 julho, 2008

FMM 2008 - algumas fotos (4)





FMM 2008 - algumas fotos (3)





FMM 2008 - algumas fotos (2)





FMM 2008 - algumas fotos





FMM 2008 - chegou ao fim!





O Festival Músicas do Mundo chegou ao fim! Como todos os anos, constata-se que os dias passaram com uma rapidez estranhíssima! Para comemorar o 10º aniversário do Festival viveram-se 10 dias intensos de música entre Porto Covo e Sines, de 17 a 26 de Julho. Agora, restam os momentos musicais vividos ao longo destes dias! Alguns ficam arquivados nas "gavetas" da nossa memória. Apenas resta aguardar pelo próximo evento, na expectativa de outras descobertas que o Carlos Seixas possa fazer por este nosso mundo!

O meu top 10 (por ordem de actuação):

- Bassekou Kouyaté & Ngoni Ba - Mali
- Lo Còr de la Plana - Occitânia
- Iva Bittová - Rep. Checa
- Moriarty - EUA / França
- Waldemar Bastos - Angola
- Justin Adams & Juldeh Camara - R. U. /Gâmbia
- Toto Bona Lokua - Ant. Fra. / Camarões / Congo
- Orchestra Baobab - Senegal
- Faiz Ali Faiz - Paquistão
- Rokia Traoré - Mali / França


Deste top destaco, no entanto, dois concertos, por coincidência ambos do Mali: Bassekou Kouyaté que actuou no CAS e Rokia Traoré que actuou no Castelo.

Foram dois concertos espectaculares que fizeram vibrar o público presente em Sines.
Lamento que o fecho do Festival, no Castelo, não tivesse sido com a actuação da Rokia Traoré.Ela merecia o fogo de artifício e penso que a maioria dos espectadores pensa como eu. Pessoalmente, não apreciei muito o grupo Doran-Stucky -Studer-Tacuma.

22 julho, 2008

FMM 2008 - alteração na programação



O Concerto de Asif Ali Khan, programado para o dia 25 foi cancelado. O grupo não conseguiu obter o visto necessário para poder entrar na Europa. No entanto, Faiz Ali Faiz, também paquistanês e em digressão pela Europa, representará o paquistão, no Festival Músicas do Mundo.

25/7/2008 - 21h30
Faiz Ali Faiz - Castelo de Sines


18 julho, 2008

Nelson Mandela faz 90 anos



Deus quer, o homem sonha, a obra nasce!


O ex-presidente sul-africano Nelson Mandela celebra, hoje, o seu aniversário de 90 anos.

Feliz, certamente, por ter concretizado alguns dos seus sonhos.


o 1º de dez dias - FMM 2008



Fotos retiradas do site FMM

O grupo do Mali, Bassekou Kouyaté & Ngoni Ba, carimbou, ontem, no auditório do CAS, o primeiro dia de dez que se seguem (dez anos , dez dias de música), com uma actuação de 5 ***** e que marcará certamente o Festival de 2008.

Merci beaucoup Bassekou! (como resposta aos muitos "ôbriigaaado" do artista perante um público rendido aos sons e aos movimentos dos malianos)

06 julho, 2008

Colóquio/Letras online

A famosa revista literária publicada, desde 1971, pela fundação Calouste Gulbenkian encontra-se disponível online em http://coloquio.gulbenkian.pt .

Parabéns pela iniciativa.

Prémios Edição LER/BOOKTAILORS 2007/08

LER e Booktailors acabam de criar os Prémios de Edição.

Na expectativa de um grande sucesso à LER e às livrarias "associadas", desde já os parabéns pela iniciativa que vem colmatar uma lacuna no nosso panorama literário.

Para saber um pouco mais: http://premiosdeedicao.blogs.sapo.pt/

03 julho, 2008

Ingrid Betancourt - LIVRE






Refém das Forças Armadas Revolucionárias Colombianas (FARC) Ingrid Betancourt, após mais de seis anos de cativeiro, foi finalmente libertada. Realça-se o combate e a coragem desta mulher!